Casamento não cura vício em Pornografia!

     Você que é cristão, solteiro e que não possui uma vida sexual ativa, já se pegou pensando em se casar para conseguir parar de assistir pornografia?

Este tipo de acontecimento é bastante comum entre os solteiros da igreja. Por acreditarem que o vício será abandonado após o matrimônio, alguns aceleram os passos e “colocam os bois na frente da carroça”. Disto surgem casamentos sem estrutura em diversas áreas (financeira, emocional e espiritual) e frustração por parte de quem está viciado ao perceber que o casamento não trouxe liberdade. Os efeitos colaterais desta decisão errônea e precipitada poderão ser: Adultério, divórcio, infelicidade do casal, falta de libido e muitos outros malefícios.

A verdade é que, para quem está viciado em pornografia, o casamento não vai salvar você do vício. O vício é que vai destruir o casamento! Seria como você pegar um labrador não adestrado, acostumado a destruir tudo ao seu redor e achar que se colocá-lo num apartamento bonito e aconchegante o problema estaria resolvido, mas o que vai acontecer é que, pouco a pouco, o labrador vai destruir os móveis e todo apartamento. Pode ser que ele tenha que esperar uma oportunidade, um momento em que estará sozinho, mas, mais cedo ou mais tarde, ele vai destruir o apartamento todo. Assim é o viciado que não foi liberto e decide se casar, em algum momento ele encontrará uma “oportunidade” de assistir pornografia e isto, pouco a pouco, vai destruir todo seu casamento.

Vale ressaltar que escrevo este texto com base em centenas de relatos de pessoas que estão frustradas com seus casamentos por conta do vício em pornografia. Abaixo veja o principal motivo porque o casamento não cura o vício em pornografia:

O cérebro de alguém que já foi diversas vezes exposto a pornografia e ainda não passou por uma reinicialização (saiba mais participando do nosso work shop), tende a precisar de estímulos e imagens sempre novas e mais fortes para que o adicto consiga despertar desejo sexual. Isto ocorre justamente porque é o que a pornografia proporciona, a cada clique, uma imagem nova e mais forte.

Com o tempo, além do adicto não sentir mais desejo sexual intenso em seu cônjuge, sofrerá com diversos tipos de distorção sexual e ainda outros problemas que, em muitos casos, levam ao divórcio.

     Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto,tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. (Filipenses 4:8)

Pr. Danny Andrey